Checklist – Essencial para viagem

Escrevo esta checklist com dois propósitos em mente, o de oferecer os meus conselhos a respeito do planeamento de viagem para quem quiser e principalmente para me lembrar do que realmente acho essencial do que devo levar comigo nas minhas viagens de exploração deste mundo em que vivemos.

O Voo aterrou… E a mala… Que nunca mais aparece…

Nada me parece mais chato, quando se chega a um destino de férias, do que sair do avião e a mala do porão que nunca mais aparece no tapete…. Da experiência que ganhei, quando trabalhei numa empresa que prestava assistência a turistas em viagem, a maior parte das queixas eram ou a respeito da mala que nunca chegou ao destino final ou a respeito de ficar doente.
Por causa da primeira causa aprimorei a minha capacidade de compactagem, simplifiquei e opto sempre por unicamente levar comigo o que considero ser mesmo “O Essencial” e também opto por produtos de limpeza que não tem uma base aquosa por causa da restrições actuais de transporte de líquidos nas cabines dos aviões.

Então…. E o que é que não pode mesmo faltar para a viagem…

1) Transporte da tralha/coisas:

A mala em si, ora bem obrigatoriamente tem que ser uma MOCHILA, vulgarmente e internacionalmente conhecida por “backpack”, qualquer loja especializada de desporto tem em stock mochilas que servem para este efeito e que não excedem nas dimensões, habitualmente, instituídas pela maioria das companhias aéreas para bagagem de mão/cabine. Aconselho vivamente que a mochila tenha:
1) estrutura/esqueleto amovível (se esta for suficientemente leve torna-se desnecessário levar esta estrutura, logo pode-se tirar e poupa-se no peso total da bagagem)
2) Com fitas de ajusto com fecho sobre a zona do peito e da anca pois o ajuste destas fitas faz o transporte deste tipo de mochilas ser muito mais confortável.
– Com uma bolsa impermeável incorporada, normalmente no fundo da mochila, para o caso de chuva.

– Saco hermético para guardar toda a roupa e que permite o milagre da roupa ficar com  metade do volume.hermetico.JPG

– Bolsa interna pequena em tom carne (tambem chamada de BANANA mas pequenina) – Como costumo dizer o passaporte e os multibancos vão nas cuecas. Item fundamental e que ser que seja suficientemente pequeno e discreto para que seja invisivel por debaixo da roupa (calças ou calções)

– mochila para o dia-a-dia – daquelas que se embrulham toda e fica reduzida a uma coisinha minuscula ou então se forem para um sitio bem chuvoso uma que permite fechar hermeticamente pelo metodo de enrolar a ponta que abre e que se tranca com um fecho tipico de material de mergulho.

– Sacos com zip –

vileda

A vileda tem estes sacos perfeitos de um litro (e de 3 litros para por exemplo guardar a maquina fotográfica…) para congelação que uso para colocar tudo o que são coisinhas soltas, produtos de higiene e algum artigo que tenha que ser levado mesmo em liquido, (por exemplo spray anti mosquito) estes são os sacos perfeitos, os de 1lt, para passarem no controlo/segurança pois tem as dimensões correctas para o efeito e são transparentes.

2) Dos produtos de higiene/beleza

Sendo eu uma “gaja” que prezo, e muito, cuidar da minha pelezinha e como vou para sitios onde não faço a menor ideia do que vou encontrar a venda e a que preços, especializei-me num conjunto de artigos que levo de casa para viagens:

– Sabonete em barra – dura mais tempo e não sendo liquido não gera problemas na segurança dos aeroportos

– Shampoo em barra – pelos mesmo motivos acima expostos. E onde se arranja isto? Até agora só descobri um sitio a loja lush no entanto qualquer bom sabonete se for hidradante, e não havendo outro produto próprio para o cabelo, pode ser usado como shampoo, não vem nenhum mal ao mundo com isso.

pastilhas dentífricas ou dentie – Para lavar os dentes a Lush também tem o que são uma espécie de pastilhas que se mastigam um pouco e depois com a escova usa-se o pó para escovar os dentes, a base é bicarbonato de sodio e argila, o que é a tipica base da pasta de dentes sem colocar, lá está…, a água. O dentie é um pó preto que é feito com sal e beringela que são tostados até ficarem pó e usa-se também para lavar os dentes, é um produto típico em ervanárias (encontras nas lojas do celeiro ou na miosotis, lx) é originário do Japão e é óptimo também para pregar um susto em viagem a alguém….. pois quando se esta a lavar os dentes parecemos uns dráculas com um liquido meio preto pelo dentes e boca!

– Escova de dentes – daquelas que se montam, oral-B ou outra marca

– Escova de cabelos – o modelo compact styler da tangle teezer, não há outra escova tão boa como esta e pequena que não se estraga (tem uma tampa que protege os bicos) e é leve. Eu tenho cabelos encaracolados bastantes indomáveis e…. esta escova não puxa os cabelos! Adorava já a ter conhecido tipo há 20 anos!

– Barra para o rosto – creme é liquido….. logo não! Mais uma vez a lush é a salvação tem o que eles chamam de serum “full of grace” que é em barra e que dura imenso tempo para alem de aguentar temperaturas altas sem derreter o que dá jeito para não se ficar com a mala a pingar de gordura… É relativamente cara mas ¼ da barra usada todos os dias pelo menos uma vez ao dia durou-me pelo menos 15 dias…. Ou seja rende bué!

– Barra para o corpo – Mais uma vez cá vem a lush, embora seja relativamente facil criar uma barra hidratante para a pele do corpo e também isto encontra-se a venda noutras lojas embora eu mais prefira as da Lush, chamam-lhe de barras de massagem, optem por uma que seja composta apenas por gorduras, gorduras essas que são totalmente absorvidas pela pele. Esqueçam os graozinhos de feijão ou os glitters, querem algo para usar como se de creme se tratasse para o corpo.
ou então optem pelo que eles chamam manteigas corporais eu usei o “king of skin” que é bem absorvido e não se derrete com uma temperatura ambiente de 30 e muitos graus celsius o que dá jeito tipo…. quando se está sobre num pais quente!
Se quiserem experimentar criar uma é uma questão de conseguirem uma mistura equilibrada entre gorduras solidas e liquidas e darem-lhe um aroma interessante (po exemplo (1/3 azeite 1/3 manteiga de cacau um pouco de cera de abelha e por exemplo essência de alfazema, e voila, bem melhor do que o vasenol da tanga!)

– protector solar em barra ecran total para o rosto – Mesmo se fosse preta que nem breu acho que usaria, a pele do rosto está sempre exposta ao sol e estes protectores são do tamanho de um baton grosso e cabem no bolso das calças e duram e duram.

– uma pinça – não por causa da depilação mas por causa de todos os picos que ficam encravados em pés e mãos e por causa daquela abelhas kamikaze.

Ainda que os necessaires sejam muito bonitos e supostamente muito praticos, são pesados e matacões (o da samsonite por exemplo esta há anos luz do que há meu ver devia de ser um necessaire compacto). Mas tenho um necessaire…. comprado na women secret e uso-o apenas para colocar todas aquelas coisinhas pequeninas que senão estiverem em compartimentos pequenos ficam sujas e/ou são dificeis de encontrar como por exemplo:

>> (de cima para baixo da esquerda para a direita) Vitorinox Swiss card – mas sem a faquinha 🙂 – ; pinça; corta-unhas; lima unhas; gilette; “limpiadores” inter-dentais; protectores para ouvidos em espuma e em cera; escova de dentes; “pastilhas”dentifricas; fio dental; espelho miniatura; preservativos; toalhetes; pensos rapidos; cotonetes; venda para olhos; pensos higienicos; barra para o rosto(o tal “full of grace” numa latinha dos “Açores”, tampões femininos e barra protecção solar)

necessaire

 

3) para dormir….. zzz…zzzz……zzz

– tampões para os ouvidos – dos que são de esponja moldável com a forma afunilada e que agora se vendem no montão de cores. Item essencial em aviões e em camaratas com companheiras roncosas…

– Venda para os olhos – Dá sempre jeito quando se quer dormir e há muito luz…. à venda por todo o lado como na hale hop, Zara home, etc…

Lençol portátil– Se estiverem a optar por acomodações de “very low budget” é essencial uma lençol portatil. Na india por exemplo nem sempre isso vem incluido no quarto! Ou pode não estar lá muito limpo ou cheiroso. Felizmente que alguem teve a ideia e criou o lençol de viagem…. uma especie de saco de tecido com o tamanho de uma pessoa e que cabe dentro de um saquinho minusculo. Eu tenho um de seda logo é também mega leve, nem 100 gramas tem, com os cumprimentos da Decathlon.

– Saco cama – Pode ser indispensável ou não… ai depende, uma opção extremamente válido em destinos amenos é dormir em cama de rede, vulgarmente designada no Brasil só por rede, em francês “hammak” ou em ingles “hammock” e o incrível mesmo é que…. se dorme super bem nisto! Eu detesto camas moles, prefiro cimento a um colchão tipo buraco negro de manhã em que acordo de manhã feita com as costas num 8 e… descobri que numa cama de rede durmo que nem um bebe. Literalmente enroladinha em feto ou em transversal. Saravá! aos povos indígenas da America do Sul por terem inventado uma coisa tão boa. (quem quiser investir no conceito de usar Hammock a sério vejam este site)

– acessório muito importante para quem vai para locais de mosquitos chatos chatos é… um mosquiteiro portatil. No decathlon também há e não pesam nem 100 gramas. Faceis de colocar so precisam mesmo que tenham acesso a um ponto de sustentação por cima da cama, normalmente o candeeiro costuma ser a vitima.
E a minha experiência é: “na duvida leva-se também” em Florença estava tanto calor na camarata em que fiquei que se dormia com as janelas todas abertas se não tivesse o mosquiteiro tinha passado muito mal. Podem tocar sirenes ou ouvir árias de ópera, mas o som sibilante de um mosquito nos meus ouvidos faz-me levantar-me em modo automático e iniciar um perseguição impediosa de toalha na mão atrás do mosquito, ou dos mosquitos ou então tento dormir a fazer sauna debaixo do lençol que tento que seja uma mini tippie. Rede para mosquitos sempre!

4) Da indumentaria

Um pareo – O pareo é o artigo mais versatil de qualquer viajante, (pareo = lenço de 1,5mt por meio metro de algodão leve) tanto homens como mulheres o devem levar. Um pareo serve como: lenço ao pescoço, protecção contra poluição para as vias respiratórias, como chapeu basta saber fazer um turbante berbere ou um turbante a baiana, serve de toalha de praia ou de duche à falta de outro as mulheres e os homens muito criativos ou com tendências para drag-queens podem ainda usa-lo como saia, camisa ou como vestido. Pode servir para cobrir uma ferida que não se quer ter exposta as intemperias, para apertar a cabeça para passar dores de cabeça, para cobrir a cabeça quando se quer entrar em templos religiosos como as mesquitas, ou para tapar os ombros para o mesmo efeito. Um pareo serve inclusivamente como saco se houver necessidade dando-se uma laçada com as pontas opostas.

– Para alem do pareo que serve para cobrir o nariz para o caso de estar muito frio ou muito calor ou muito poluido o ar eu levo sempre um Buff, há quem lhe chame “bufanda” tambem, a unica marca realmente boa é a BUFF e se não der jeito te-lô posto no pescoço pode ser enrolado no pulso em duas voltas. Item essencial quando se vai para sítios muito poluidos ou para evitar inalar pó ou areia que esteja no ar.

– Em países chuvosos e quentes – uma gabardine simples larga sem qualquer forro, leve com bolsos, fecho e capuz. Uma gabardine se for quente é impossivel de ser usada num pais tropical, é certo que usando-a não se apanha chuva mas sua-se tanto ou mais quanto a chuva que cai do lado de fora. Por isso o ideal é que seja respiravel com alveolos .

– Chinelo de pé de borracha – para os duches em casas de banho duvidosas e por que são sempre práticos de ser usados em países tórridos e chuvosos. Não há nenhum tão bons quanto o modelo clássico da marca Havaianas ou (talvez também) as da ipanema (outra marca brasileira que rivaliza com as havaianas).

Tenis – é completamente indiferente se são de marca X ou Y, tem que estar é já bem calejados pelos teus pés e se já tiveram bastante tempo de rodagem melhor ainda pois não tem um look muito fino e despertas menos facilmente a atenção dos possiveis bandidos.

– Calças ou calções, suficientes largos para não se notar a bolsinha interna do passaporte. Logo Leggings estão fora de questão por causa do acima dito e porque também são uma especie de chamariz para piropos. O mesmo digo de saias e minisaias. Para alem de que sentar no chão ou saltar qualquer coisa de saia não seja tão boa ideia, é pouco higiénico e pode ser inclusivamente ofensivo em alguns sitios. De preferência com bolsos, interiores ou de chapa, grandes e/ou pequenos.

– Bone – acabo sempre por preferir o bone ao chapeu, bone dobra-se espalma-se todo e é minusculo e não voa da cabeça se quem o usar tiver o cuidado de deixar a fita justa. Já o chapeu… voa, pousa-se em qualquer e desaparece a voar e fica todo amachucado… Mesmo os panamas…. com um lenço e um bone consegue-se a mesma protecção que o panama.

O que não é essencial: Se vão 15 dias de viagem não vão levar 15 cuecas, 15 pares de meias ou vão? Eu não levo! É muita roupa. Levo 4 cuecas, 4 meias, 4 tee-shirts já incluindo uma para dormir! Depois vou lavando, há sempre um lavatorio disponivel! 🙂 e sabonete algures e algum sitio para por a secar.

5) – SOS – Farmácia
Depois há que levar uma mini-farmacia. Porque aqui o que se chama de aspirina ou brufen, no Brasil, na China ou no India chama-se outra coisa qualquer que não fazes a menor ideia do nome. O que considero mesmo fundamental pela experiencia adquirida, é: imodium (para ninguem se esvair por causa de ter comido aquela saladinha que até tinha tão bom aspecto) e ultra-levur (para depois do mal feito repor as nossas bacteriazinhas instestinais); betadine num mini frasco pois nada como evitar que por causa daquele arranhãozinho que se fez “por ali” depois ficar-se doente de uma mega infecção com pus…; agulha e linha, porque mesmo depois de anos a caminhar estoicamente as bolhas as vezes teimam em dar o ar da sua graça, furas a bolha e deixas a linha e a bolha já não fecha, voilá!; aquatabs muito útil – uns comprimidozinhos que desinfectam a àgua e que te permitam que a bebas em segurança. Quando não há agua engarrafada nem perspectiva dela vir a aparecer ou se, existirem duvidas, do estilo “será que aquela agua é mesmo segura?”, põe-se lá um aquatab, agita-se, espera-se meia hora e já podes beber uma água com sabor a canalizada e ficas mais tranquilo.

6) E ainda…..

– um bom guia de viagem em papel. Isto dos e-books é tudo muito lindo, mas nem sempre há energia electrica, os aparelhos eletronicos avariam com agua, os livros ficam so molhados, e se entornarem um chá preto num livro vai ficar molhado, cheiroso e tingido e um i-pad ou tablet vai ficar avariado. Para mim os melhores guias são os da lonely planet que compro pela net e em inglês.

– Um caderno e caneta – Para notas, perplexidades e os 500 contactos das 500 pessoas que vais conhecer a viajar.

Mais coisas que hão de vir para aqui…

sim internacional vs telemovel desbloqueado

cartão multibanco internacional

adaptor de electricidade internacional

cadeado

Advertisements

Dinheiro na nuvem

MONEY

Um conceito ainda inexplorado neste canto à beira mar… Do que sei, cada vez que um tuga “vai-se”de passeio ao estrangeiro leva dinheiro e cartões de débito e crédito e assim tem dinheiro para fazer face aos gastos.

Mas existem outras opções que…. basicamente… ninguém …. e ninguém mesmo fala delas.

Revolut é uma dessas possíveis hipóteses vantajosas para a carteira e para o controlo de gastos, é um 3 em 1:é uma app; um cartão; e dinheiro a circular entre conta e/ou cartão de debito e um cartão e conta da revolut.

 

O processo não é simples, saber se compensa é algo que só saberei daqui a um mês.

O processo começa no Google play instala-se a app Revolut no Telemovel, nesta app registas-te e para a morada de registo é enviado o cartão fisico da revolut (que à data não tem custo, é de aproveitar!) que chega a casa num envelope  muito giro (os meus parabéns a quem o desenhou!). Este cartão assume o pin que digitamos na app no telemóvel, é mesmo! E se mudamos o pin na app actualiza automaticamente no cartão.

Depois coloca-se dinheiro no cartão… Aqui é que a historia se complica, colocar dinheiro é, na gíria da Revolut, um “top-up”. Para o fazer tem-se duas hipóteses: por transferência internacional, que por exemplo no Best Bank pode ser feita online gratuitamente e numa questão de minutos dá-se a ordem e, no máximo dos máximos, em 4/5 dias úteis chega a Cloud da Revolut, que a tem de alocar à conta revolut que a remeteu, daí usarem um número referência que  identifica a conta do destinatario.  Pode-se também fazer top-up por um cartão de debito de uma conta em nome do titular da conta presente no Revolut, e… esse cartão de debito, e só servem mesmo os cartões de débito*, tem que cumulativamente ter: 1) o código cvv – aqueles 3 dígitos presentes ao pé do campo de assinatura – 2) ser um cartão que permite transacções online.

*Por acaso com os cartões pré pagos do Montepio, os que ficam registados em determinado nome, que pode ter ou não conta no Montepio, é possível fazer top up.

Mas há mais…. para se poder fazer um top-up superior a 1500£(pounds) por transferência bancária ou para fazer top up com recurso a cartão de débito tem que se confirmar a identidade, ou seja tirar foto, mandar fotos, mandar cópia de documentos de identificaçao e depois fica aleluia isto feito….

Para que todo este trabalho? Ir de férias para países fora da EU é sinónimo de gastar entre 5€ a 10€ por cada levantamento de 100€/150€ Uma roubalheira que os bancos cobram e todos assumem como “normal”….  Os serviços da revolut e  outros como a weswap permitem passar por cima destas taxas absurdas sendo que o serviço Revolut permite que o dinheiro colocado na app seja convertido num elevado numero de moedas sem custos de câmbios.

Como faz a revolut dinheiro? Por cada transacção num qualquer comerciante- são estes que pagam à Revolut. Semelhante ao que os comerciantes em PT também pagam.

 

Pontos mais:

+ Atendimento muito simpatico, em inglês é claro;

+Top up por cartão fica automaticamente o dinheiro na app

 

Pontos menos:

– O dinheiro existe associado  à app e ao cartão sem conta fisica, pelo que para que regresse terá que vir por um destes lados.

– Tudo o que é novo e inovador tem normalmente mais falhas do que o que é convencional e usual

O telefone toca…

 

 

Como conseguir telefonar do estrangeiro sem ser sugada até ao tutano com valores exurbitantes…

worldsim

Requisitam um cartão SIM por 27,4€ da empresa World Sim (que chega já com algum saldo em carteira) e depois de o receberem em casa, criam uma conta no site da worldsim fazem um topup, no mínimo de 13,7€, que é recebido de imediato no saldo do sim telemóvel. E já está ficam com estes valores milagrosos em comunicações… 0,55€ por minuto de uma chamada efectuada desde da (por exemplo) Malásia para Portugal.

Para manterem o pin activo basta que o utilizem um vez por ano.

Se…. só se… fizesse uma chamada da Málasia para Portugal desde do meu numero da MEO pagaria….

  •    3,74€ por minuto de chamada efectuada *
  •     1.99€ por minuto por chamada recebida *
  •     0.78€ por SMS enviado*                                                                                                                                                                                                       *preços em vigor em Janeiro de 2016

E esta hem….